CONDUTORES [Museu de Arte de São Paulo – MASP e Sesc Interlagos], 2016

/Posted by: João Simões

https://masp.org.br/exposicoes/playgrounds-2016
Obra integrante da exposição Playgrounds

Trata-se de um trabalho que parte das hastes de apoio presentes na estrutura interna de um ônibus, interceptadas por duas arquibancadas posicionadas frente a frente, uma em cada extremidade. Na junção desses elementos, propomos elaborar relações com: o trepa-trepa presente nos playgrounds, o ônibus, noções de convivência e de pedagogia. O dispositivo criado também será utilizado e ativado pela equipe de mediação do museu.

METRO CÚBICO [Mostra 3M de Artes, São Paulo], 2016

/Posted by: João Simões

O grupo inteiro participa da 8a Mostra 3M de Arte no Largo da Batata, em Pinheiros, São Paulo, a partir de 15/09 às 18h, com a proposição artística Metro Cúbico que reflete sobre a condição histórica de ter água acessível em praça pública.

MANEJO [32a Bienal de Artes de São Paulo], 2016

/Posted by: João Simões

http://www.bienal.org.br/post.php?i=2747

realizado a convite do artista Jorge Menna Barreto, para projeto espacial da obra RESTAURO

A instalação parte de conceitos elaborados por Jorge em torno da obra e eleitos por O grupo inteiro, como: a noção de manejo florestal e os processos escultóricos realizados na poda das plantações; a ideia de microclimas, onde se pudesse realizar a “metabolização” da exposição, e assim: comer lendo, escutando, junto, entre outras conjugações possíveis; e os extratos da terra, que definem três camadas principais na altura das peças, entre outros, como os campos de visão entrecortados durante o caminhar numa floresta.

TEIA + OBSTÁCULO [A Marquise, o MAM e nós no meio, São Paulo], 2018

/Posted by: João Simões

http://mam.org.br/exposicao/a-marquise-o-mam-e-nos-no-meio/

Em conversa com a curadora Ana Maria Maia e o Educativo MAM

Teia ocupou o espaço destinada a aranha de Louise Borgouis (que durante a exposição estava em restauro) e apresentava entre preposições o nome dos grupos que ocupam a marquise do Ibirapuera durante os finais de semana. Obstáculo refere-se a uma série de objetos que compunham o espaço expositivo e que aos domingos saíam para a marquise para serem utilizados por seus frequentadores, retornando ao espaço com as “marcas” desse uso e assim, estabelecendo uma relação entre o fora e o dentro do MAM.

CAMPOS DE PREPOSIÇÕES [Sesc Ipiranga], São Paulo, 2016

/Posted by: João Simões

http://camposdepreposicoes.sescsp.org.br

com a contribuição de artistas e professores da Central Saint Martins (Londres) e demais participantes

Campos de Preposições, projeto que reflete sobre modos de convivência em suas dimensões culturais, sociais e históricas, se dispõe no espaço e no tempo por meio de instalações, performances, encontros, diagramas, publicações e uma plataforma online. O projeto conta com a participação de artistas-acadêmicos da Central Saint Martins – University of the Arts London e outros artistas convidados, alinhados ao modus operandi que o Sesc São Paulo desenvolve há mais de 30 anos: suas histórias, seu olhar para o plural, sua capacidade de se reinventar e de se inserir de modo integrado e, simultaneamente, tão diferenciado na cidade.

METACOZINHA [Casa do Povo], 2015

/Posted by: João Simões

Ação desenvolvida em conjunto entre os coletivos da Casa do Povo (Ocupeacidade, G>E, Lote Osso e Coral Tradição) com Vitor Cesar e Carol Tonetti

A Metacozinha é o resultado de ideias e desejos que surgiram coletivamente – um espaço de descanso, um lugar de encontro, um suporte de objetos, um display para revistas, uma estrutura flexível, um objeto que se revele e se oculte. Arte, arquitetura e design desempenharam o papel de coreógrafos nessa ação, se incumbindo de traduzir possibilidades em uma proposta concreta: um mobiliário pensado para a cozinha, mas que possa ser levado para outros espaços da Casa do Povo; um móvel que tenha usos práticos, mas que também possa se transformar em uma parede de fundo; e principalmente, uma estrutura pensada para se relacionar com as pessoas que frequentam o espaço, uma estrutura com a qual os corpos possam interagir de diversas formas: Sentar, agachar, encostar, apoiar, deitar…e que tateie materiais e texturas diversas: madeira, aço, mármore, algodão.

CONTRACONDUTAS [Guarulhos e São Paulo], 2016-2017

/Posted by: João Simões

http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/
Projeto desenvolvido no âmbito do Conselho Técnico da Escola da Cidade, com verba destinada pelo Termo de ajustamento de conduta do Ministério Público do Trabalho de Guarulhos e realizado por uma rede interdisciplinar de colaboradores

O projeto Contracondutas se origina de uma atuação do sistema de justiça do trabalho dentro das ações de combate e erradicação do trabalho análogo a escravo na construção do Terminal 3 do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em 2013. A Associação Escola da Cidade ficou encarregada de elaborar um projeto amplo e público que buscasse problematizar, difundir e transformar o conhecimento e a realidade do problema–enfrentamento nesse procedimento de justiça a partir de uma abordagem sobre a questão do trabalho análogo a escravo na contemporaneidade. Foi idealizado por uma equipe interdisciplinar de profissionais e opera como dispositivo que atravessa diversas atividades didático-pedagógicas, ao mesmo tempo em que incorpora e provoca indagações acadêmicas, jornalísticas e artísticas, projetando-se em direção ao debate público do tema e impactos na cidade, nas relações sociais, na ocupação do território, nos fluxos migratórios, nas políticas públicas e nas produções culturais.

MANO FATO MANO [Centro Cultural São Paulo], 2014-2015

/Posted by: João Simões

Mano Fato Mano instaura um espaço de reflexo e reflexão, permitido e ativado por desenhos e ações que informam o cotidiano nas cidades e, particularmente, em São Paulo. Elaborado de modo experimental-colaborativo pelo grupo do projeto mano fato mano, junto com a equipe do CCSP, este projeto compreende exposição, linguagem visual, site, publicação, ações e conversas, que compõem o visível-invisível que os desenhos (e o desenhar) desvelam e deslocam, práticas artísticas-políticas que inventam mundos outros.

CORRESPONDANCE [École Secondaire de Nyon Marens/Pro-Helvetia/far°, Suiça], 2018

/Posted by: João Simões

Em parceria com o programa Coincidências América Latina, Fundação Pro-Helvetia e Farº Festival, Brasil/Suiça

Junto à École Secondaire de Nyon Marens, O grupo inteiro propõe uma atividade de sala de aula, convidando os alunos a preencherem um formulário que revele pessoas, objetos e lugares de seus universos e imaginários. A partir dessas respostas, um diagrama de diferentes relações entre esses agentes – relações estas qualificadas pelas preposições –, é impresso no hall central da escola. Assim, ao longo do mês de novembro, O grupo inteiro estará com os alunos criando dinâmicas espaciais de materialização dessas conexões entre lugares, pessoas e objetos.